Acompanhe:
Categoria:

Cotidiano

    Cotidiano

    Resoluções de é-quase-final-de-ano

    Eu não sei se você sabe. E, se não sabe, sinto muito ser a pessoa que vai te dar essa notícia, mas faltam 84 dias pro ano acabar. Isso mesmo, oitenta-e-quatro.

    Ah, mas se o ano já tá acabando, por que tu vai inventar umas resoluções loucas aí? Deixa pro ano que vem!

    Não dá. Eu preciso mudar algumas coisas e precisa ser agora. Eu venho deixando pra depois várias mudanças de hábitos que quero fazer mas tenho medo de enfrentar. “Ah, na segunda eu começo a me alimentar melhor” ou “Já comecei o mês gastando demais, vou começar a economizar no próximo mês” são frases que eu já disse muitas e muitas vezes.

    O ser humano tem um NEGÓCIO com inícios de ciclos, né? Parece que nada pode começar numa quarta-feira, ou num dia qualquer do mês que não o dia 01. E deus me livre mudar alguma coisa depois que já chegou outubro! A gente age como se o dia 01 de Janeiro fosse algum tipo muito louco de marco zero, em que tudo que você fez de errado foi miraculosamente apagado ou perdoado e que ali existe uma chance de começar tudo de novo.

    Mas a verdade é que não existe marco zero depois que você nasceu, e todo dia é uma chance nova de tentar de novo.

    Eu sei que parece papo de auto-ajuda, mas quem sabe se nos convencêssemos que o ciclo de 24h é suficiente para decidir mudar algo, chegaríamos muito mais longe do que esperando o início da próxima semana, mês ou ano.

    Quando o ano de 2017 começou, eu achei que ele tomaria um rumo bem tranquilo e sem muitas emoções, como tinha sido 2016. Mas já na primeira metade do ano ele fez mais ou menos isso aqui:

    Depois de muito patinar pra reunir a força e a coragem de levantar e redefinir meu foco, eu não quero desperdiçar essa energia que ficou dormente por bastante tempo e quero começar já a tentar mudar algumas coisas com as quais não estou satisfeita:

    Definir metas e planos

    Muitos e muitos anos atrás, ainda no ensino médio, eu tinha definido como meta cursar design gráfico na UFSC. E, adivinha? Deu certo. Desde então eu nunca mais defini uma meta de vida e só agora que eu comecei a pensar efetivamente em objetivos que eu gostaria de atingir é que eu encontrei energia para me mover. Eu não sei como eu nunca fiz essa associação entre motivação x meta, mas eu definitivamente queria ter pensado nisso antes!

    Assumir controle do meu dinheiro

    Eu sempre fui uma pessoa muito desligada em relação aos meus gastos e economias. Mas tá mais do que na hora de criar vergonha na cara e me tornar uma pessoa mais financeiramente responsável.

    A meta principal é manter um controle de gastos detalhado até o final de Dezembro para entender exatamente como meu dinheiro vai embora e o que eu posso fazer para economizar e investir.

    Melhorar minha alimentação

    Isso é algo que impacta diretamente o ponto anterior. Eu gosto muito de cozinhar, mas tenho muita preguiça por ter que fazer toda a comida e limpar tudo sozinha (todo mundo aqui é humano né, me deixa). Aí acaba que eu acabo comendo bem mal ou gastando muito dinheiro com delivery. Ou seja: tentar economizar dinheiro já vai ter um efeito na melhora na minha alimentação, e agora que eu voltei a trabalhar fora de casa e almoçar todo dia em um restaurante que tem opções saudáveis, acabaram minhas desculpas para continuar comendo porcaria.

    Meu ciclo novo começou ontem, domingo, às 6h da manhã que foi a hora que eu consegui levantar da cama depois de passar 1h em crise existencial. Aos trancos e barrancos eu coloquei ordem no meu quarto, tomei um energético, coloquei o lixo pra fora e decidi que ia ser assim. Se não der certo, não vai ser porque eu não comecei numa segunda-feira, ou no dia 01 de Janeiro.


    Compartilhe:
    Comente: