Acompanhe:
Livros

Ela Não é Invisível — Marcus Sedgwick

Ela Não é Invisível Book Cover Ela Não é Invisível
Marcus Sedgwick
Juvenil (YA)
Galera Record
2015
256

Laureth é uma adolescente cega de 16 anos, e seu pai é um autor conhecido por escrever livros divertidos. De uns tempos pra cá, ele vem trabalhando em uma obra sobre coincidências, mas jamais consegue terminá-la. Sua esposa acha que ele está obcecado e prestes a ter um ataque de nervos. Laureth sabe que o casamento dos pais vai de mal a pior quando, de repente, seu pai desaparece em uma viagem para a Áustria e seu caderno de anotações é encontrado misteriosamente em Nova York. Convencida de que algo muito errado está acontecendo, ela toma uma decisão impulsiva e perigosa: rouba o cartão de crédito da mãe, sequestra o irmão mais novo e entra em um avião rumo à Nova York para procurar o pai. Mas a cidade grande guarda muitos perigos para uma jovem cega e seu irmãozinho de 7 anos.

Como eu não leio sinopses, comecei o livro sem saber que Laureth é deficiente visual. Foi só quando ela teve dificuldades ao entregar os bilhetes de embarque no balcão de check-in que eu percebi que havia algo diferente com a garota. E, ao perceber isso, fica claro porque ela sequestrou seu irmão mais novo para viajar de Londres à Nova York.

A história começa no aeroporto, mas aos poucos ela explica seus motivos: Encarregada de responder os e-mails que os fãs enviam a seu pai – um escritor famoso -, Laureth esbarra em um e-mail em que o autor informa que encontrou o caderno de seu pai em Nova York. Preocupada com seu pai, que não atende suas ligações e que deveria estar em uma viagem de pesquisa na Áustria, Laureth tenta convencer sua mãe de que seu pai está em perigo, mas com o casamento já abalado, sua mãe não se abala pela preocupação da filha.

Laureth decide então que ela precisa ir aos Estados Unidos em busca de seu pai, e leva junto seu irmão Benjamin. Ele, por sua vez, leva seu inseparável amigo: Stan, um corvo de pelúcia.

No decorrer da história, peculiaridades de seu irmão também podem ser notados. O efeito Benjamin afeta grande parte dos eletrônicos, fazendo com que eles pifem mediante seu toque ou proximidade. E com essa sua “habilidade” ele consegue destruir o sistema de entretenimendo do avião inteiro.

Tendo como pistas apenas o caderno de seu pai, recuperado por Michael, os dois irmãos precisam procurar pela cidade por seu pai e, com a (falta de) informações que obtém, a hipótese de que ele pode estar em perigo parece se confirmar.

Ela não é invisível me surpreendeu. Eu não sei explicar o que esperava encontrar tendo lido apenas o título do livro, mas gostei muito de como a deficiência visual de Laureth é retratada e de como isso não é o assunto do livro. O plot do livro é de uma adolescente e uma criança que fugiram (ou foram arrastados) de casa, em uma cidade desconhecida, tentando desvendar um mistério e encontrar seu pai. Os “problemas” de Laureth e Benjamin são apenas características. Eles não impõe obstáculos intransponíveis ou crises existenciais. A cegueira de Laureth é apenas parte de quem ela é, não é algo que a impede de realizar o que ela quer realizar.

52 Livros em 52 Semanas


Compartilhe:
Comente:
Post Anterior Próximo Post

Você também pode gostar de:

11 Comentários

  • Responder Adriel Christian

    Oi, oi!

    Como assim tu não lê sinopses? Hahahaha. Essa é a primeira coisa que eu faço. 😀

    Esse livro tá na minha listinha desde o ano passado. A cada resenha que eu leio, mais louco fico pra ler. Tenho certeza que nas minhas próximas compras literárias eu voltarei pra casa com ele.

    Bjs!

    Não me venha com desculpas

    06.01.2016 às 11:56
    • Responder Ana P.

      @Adriel Christian, não me julga ): nunca foi algo que eu me acostumei a fazer, sempre comprei / li livros por indicação ou pela capa haha então é bem frequente eu me surpreender com algum ponto ~óbvio~ do livro que estava escrito na sinopse haha

      Leia sim! Vale muito a pena.

      Beijos!

      07.01.2016 às 09:12
  • Responder Fran Oliveira

    Confesso que ainda não conhecia o livro, achei o nome bastante interessante, fiquei muito curiosa pela história. Achei bem envolvente, preciso ler logo. Sua resenha é maravilhosa!
    Beijos,
    http://www.dosedeilusao.com

    06.01.2016 às 23:23
    • Responder Ana P.

      @Fran Oliveira, obrigada, Fran! <3
      Ele me chamou a atenção exatamente pelo título (e pela capa), e vale muito a pena a leitura (:

      Beijos!

      07.01.2016 às 09:12
  • Responder Luly

    Primeiramente: boa sorte no projeto!!! Tomara que você consiga ler um livro por semana e conta sobre todos pr’a gente, hein! Eu ultimamente ando lendo tão pouco que fico feliz em completar um por mês, tsk tsk tsk…
    Agora, sobre o livro… Fiquei curiosa! Deve ser muito interessante ler sob um ponto de vista tão difícil de ser entendido. Eu enxergo MUITO mal, mas nada se compara com ter realmente uma deficiência visual e poder conhecer uma história através de alguém assim. Muito legal!
    Acho que eu jamais conseguiria “não-ler” sinopses, achei legal isso também! Eu sou péssima, até de spoiler vou atrás, dependendo do momento.

    07.01.2016 às 01:00
    • Responder Ana P.

      Obrigada @Luly!
      Ano passado eu fiquei um pouco para trás, mas li muitas coisas ótimas!

      Eu tenho gostado bastante de livros com personagens “não-perfeitos”, acho que deixa tudo mais interessante do que a mesma fórmula perfeita de romances zzzzzz hahahaha

      Eu adoro um spoiler de série, mas livro eu nem me abalo em descobrir sobre o que é antes. Acho que quando eu leio a sinopse eu já crio uma expectativa que pode não ser atendida com o livro, então acabo deixando que a história me surpreenda.

      07.01.2016 às 09:17
  • Responder Giuliana Silvestri

    Eu também tenho o costume de não ler as sinopses hahaha Acho que fica mais emocionante desse jeito! E não conhecia o livro, mas pela sua resenha parece ser muito bom! Gostei bastante do título e da capa, que é linda! Espero me surpreender assim como você na leitura! Obrigada pela dica de livro haha

    Beijos!
    Meu Conto de Fada

    07.01.2016 às 13:27
    • Responder Ana P.

      @Giuliana Silvestri, ai, que bom! Assim não me sinto a única ET que não lê sinopses HAUHAUA
      Espero que goste do livro também! (:

      Beijos!

      11.01.2016 às 22:47
  • Responder Jessica

    Como você consegue não ler sinopes? Menina.. eu já me decepciono quando leio, quem dirá não lendo :s
    Olha, essa tua resenha ficou ótima e a historia parece ser surpreendente mesmo. Conforme lia ia me perguntando como era possivel uma garota cega fazer tudo isso, mas como você disse, o “problema” dela é parte dela e não impede que ela faça o que tiver que fazer. Adorei

    07.01.2016 às 22:23
    • Responder Ana P.

      @Jessica, pois é, também fiquei me perguntando isso durante o livro! É incrível ver o quão capaz ela é de fazer as coisas. Ajuda a gente a encarar essas “deficiências” de uma maneira bem diferente, ainda mais expondo o ponto de vista da própria personagem!

      11.01.2016 às 22:47
  • Responder Vivian

    Adorei, quero ler também, ótima dica!!!
    Bjus

    12.01.2016 às 21:26
  • Deixe uma Resposta