Acompanhe:
Livros

Em Busca de um Final Feliz — Katherine Boo

EM_BUSCA_DE_UM_FINAL_FELIZTítulo: Em Busca de um Final Feliz
Autor: Katherine Boo
Editora: Novo Conceito
Ano: 2013 / Páginas: 288
Classificação: 4/5

Skoob | Goodreads

Sinopse: Em Busca de um Final Feliz, de Katherine Boo, é um livro brilhantemente escrito. Através de uma forte narrativa, descobrimos como é o dia a dia dos moradores de Annawadi, uma favela à sombra do elegante Aeroporto Internacional de Mumbai, na Índia. A história de seus habitantes nos faz rir e chorar, porque “o que é celebrado neste livro não é o que poderíamos chamar toscamente de ‘o encanto da lama’, mas a riqueza das pessoas que — para o bem e para o mal — compõem um tronco social que está cada vez mais presente no nosso mundo moderno”. (Zeca Camargo, em prefácio a esta edição).

Em Busca de um Final Feliz — Katherine Boo | Quase Mineira

Se você mora no Brasil, mesmo em uma cidade do interior como eu, você sabe o que é uma favela e por isto a leitura deste livro fica ainda mais real.

A história de “Em Busca de um Final Feliz” fala sobre a vida dos moradores da favela de Annawadi em Mumbai na Índia. Não é a maior favela do país, na verdade ela é bem pequena com apenas 3 mil moradores, mas tem todos os problemas de uma favela maior em sua proporção.
Localizada ao lado do aeroporto internacional e moderno, com suas placas de ‘Bem-Vindos à Índia’ e rodeada de hotéis luxuosos, Annawadi era um terreno com barracos tortos e um lago de esgoto que alagava na época das chuvas.

Ao longo dos capítulos conhecemos alguns dos moradores que lutam vendendo lixo para ter o que comer, que dormem no chão em um espaço aperto demais para se ter camas, onde as crianças têm feridas de mordidas de ratos por conta de todo o lixo…

Em Busca de um Final Feliz — Katherine Boo | Quase Mineira

Asha, uma das moradoras de Annawadi, veio do interior fazer a vida na cidade e sonha em atingir à classe média através da política corruta do país. Aliás, os relatos de corrupção do livro são tão horríveis que me fez chorar várias vezes, como por exemplo, os policias que pedem seu dinheiro para não te prender por qualquer motivo que eles queiram. Ou os médicos que vendem os remédios que o hospital deveria distribuir aos pacientes de graça…
Por outro lado, é graças a esta vida que a filha de Asha está prestes à se tornar a primeira mulher da favela a terminar a faculdade, mesmo que isto não vá melhorar a vida dela sem um bom casamento.

“Ser pobre em Annawadi, ou em qualquer favela de Mumbai, era ser, invariavelmente, culpado de uma coisa ou outra.”

Sunil é um menino catador de lixo que dorme a maioria dos dias nas vielas da favela e que mesmo sendo espancado quase diariamente por policias ou por meninos maiores, a dor que já conheceu é a da fome. E Abdul, o principal do livro, um menino muçulmano que não sabe sua idade porque sua mãe não pode contar…. Ela estava ocupada demais tentando alimentar todos os filhos.

Este é um livro tão vivo, tão real que me deixou enternecida com seus personagens tão verdadeiros – tanto que no final, Katherine Boo, a autora deixa claro que todos são reais e que a ajudaram a escrever cada página do dia-a-dia de Annawadi onde ela mesma viveu durante 3 anos para contar este relato. Então, muito mais do que uma reportagem, este livro é uma história de vida, morte e esperança entre os barracos de Mumbai.

É uma leitura de palavras claras e simples, nada de reflexões complexas sobre a vida, pessoas de qualquer idade entenderia a vida e o drama destas famílias. Terminei a história agradecendo por estar debaixo de um teto protegida da chuva…. Às vezes, livros assim são bons para nos lembrar que temos tudo perto de quem não tem nada.

“— Você já pensou quando olha alguém, quando ouve alguém, se essa pessoa realmente tem uma vida? — Abdul perguntava ao menino que não estava prestando atenção.”

Onde encontrar: Amazon | Submarino | Americanas | Saraiva | Livraria Cultura

BEDA 2016 | Quase Mineira


Compartilhe:
Comente:
Post Anterior Próximo Post

Você também pode gostar de:

4 Comentários

  • Responder Clayci

    E o que dizer dessas fotos?
    Juro que quando olhei a capa pensei que a história fosse outra coisa hahahaha
    Fiquei com vontade de ler, Ste!!!

    Beijos

    7 de agosto de 2016 às 13:46
    • Responder Stephanie Ferreira

      Acho que tu vai gostar, depois te empresto Clayciane, mesmo não sendo fantasia, é um choque de realidade que é bem bacana 😀
      Fico feliz que tu gostou das fotos, fiz um curso de fotografia profissional de 20h pelo whatsapp 😀
      Beijão

      8 de agosto de 2016 às 11:28
  • Responder hellz

    wow. Parece ser um livro bem denso. Mas nem de literatura bonitinha e confortável vivem os leitores, né? as vezes tais choques de realidade e consciência são mais do que necessários.

    P.S.: Migs, te acho corajosa por participar do BEDA, serião. EU acabei desistindo.

    beeeeeijo
    beinghellz.com

    8 de agosto de 2016 às 03:36
    • Responder Stephanie Ferreira

      Ele até é bem denso, mas a leitura flui tão bem que você termina de ler bem rápido sabe? Além de ser um bom choque de realidade.

      Aaah hellz, o segredo é começar a preparar os posts com meses de antecedência 😀
      Beeijão

      8 de agosto de 2016 às 11:27

    Deixe uma Resposta