Acompanhe:
Filmes & Séries, Livros

Filme x Livro: Divergente

Divergente

Eu não pretendia fazer resenha de livros famosos porque né, existem várias por aí e resenhas ótimas alias, mas eu terminei de ler algumas sagas recentemente e gostaria de compartilhar com vocês meu amor por elas.

Terminei de ler A Seleção, mas não li nenhum dos contos do mesmo universo no livro porque não gostei tanto assim. Então, eu li Simplesmente Acontece e fiquei frustrada, não vou dar spoilers mas quem lá leu vai entender toda a angustia que eu senti com o casal principal. Vai sair o filme esse ano do livro e não sei vou querer ver nos cinemas…

Sempre alterno minhas leituras entre sagas/trilogias e afins, com um livro único para dar uma pausa da cabeça sabe? Assim consigo ir de um universo a outro sem me estabanar.

Terminei esses dias de ler a trilogia de Divergente e só depois assisti o filme, que é do ano passado, mas não tinha tido tempo para ler logo que lançou.

Livro: Divergente
Autor: Veronica Roth
[rating:5/5]
Editora: Rocco Digital
Ano: 2012 / Páginas: 502
Sinopse: Divergente – Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto.
A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é.
E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.

Diferente de A Seleção, em Divergente a autora conseguiu falar de um romance lindo e apaixonante e ainda te prender em um universo futurista. Ficou faltando em A Seleção explorar mais o que acontecia do lado de fora do pais e em Divergente não, foi equilibrado. Porque estou comparando duas sagas diferentes? Por que as duas se passam no futuro com a sociedade dividida de algum jeito, isso acontece em Jogos Vorazes também porque isso também sou apaixonada pela trilogia.

Fiquei obcecada pela Beatrice desde o primeiro livro tentando entender junto com ela porque as pessoas não podem ser corajosas E altruísta E bondosas E inteligentes E honestas, como a tatuagem do Quatro mostra, parece loucura as pessoas pensarem de um único jeito de acordo com sua comunidade, no caso de Divergente, de acordo com sua facção.

“A facção antes do sangue”.

Logo que comecei a ler o terceiro e ultimo livro, minha cabeça quase explodiu com as descobertas do secreto do mundo fora de Chicago, fiquei pensando: Se eu estou assim aqui, imagina todos os personagem descobrindo seu mundo ser todo uma mentira?
Amei cada segundo vivendo do lado desses personagens, obrigada Verônica Roth por uma das melhores histórias da minha vida.

E então eu assisti o filme Divergente, do primeiro livro duas vezes seguidas. O filme é muito fiel ao livro, com detalhes que só melhoram a história, como o quadro da Audacia não ser um simples quadro negro como é no livro e sim, um quadro negro todo tecnológico que eu quero em casa rs.
Criticas do filme? Sim, o olho do Quatro/Tobias no livro é azul e não castanho, mas é um azul bem escuro então castanho esta bom. Faltou toda a água no fundo do abismo também e não achei o Peter do filme, tão cruel e odiável quanto o Peter do livro.

Quem não leu os livros ou assistiu o filme. Leia/Assista. O segundo filme Insurgente estreia dia 18 de março de 2015.


Compartilhe:
Comente:
Post Anterior Próximo Post

1 Comentário

  • Responder Quase Mineira - Uma paulista em Poços de Caldas

    […] Ah! Aproveitem e leiam o post da Steh, comparando o primeiro livro com o filme (aqui). […]

    10.09.2015 às 12:05
  • Deixe uma Resposta