Acompanhe:
Cotidiano

Lembrança favorita com meu pai

Não tem momento mais gostoso para pensar em pessoas queridas do que em datas que foram criadas em sua homenagem. Hoje é Dia dos Pais e passei todo o fim de semana lembrando de momentos bons que já tive com meu velho.

Hoje meu pai mora bem longe, lá escondido num cantinho de São Paulo e a gente acaba se vendo bem pouco mas, de todos os filhos, eu tive a oportunidade de passar mais tempo junto com ele, antes da vida acabar levando cada um pro seu lado.

Também já tivemos nossos altos e baixos e aprendemos que, antes de pai e filha, somos seres humanos, e também erramos. Mas nunca perdemos o respeito um pelo outro. Pelo contrario, foi com os anos que aprendi a entender melhor o meu pai.

Eu também não tenho um só pai não, tenho dois. O biológico, que tá longe, e o padrasto, que também é pai e tá aqui perto. Mas hoje quero dividir minha lembrança favorita do que tá longe, porque a saudade e a data me permitem.

De Web para Chef

Vivo no mundo do blogs desde os 9 anos de idade e comecei a brincar de programação web no meu segundo blog. A história em resumo é essa: uma tia descobriu os blogs e criou um pra mim e outro pra minha mãe, só que o meu tinha várias Hello Kitties e eu queria um template de anime, então esperei ela ir embora, deletei o blog inteiro e fui atrás de aprender a criar o meu sozinha.

Começou assim e então passei anos desenvolvendo blogs e sites… Estudei muito css, html, php e até java! Meu pai, que sempre trabalhou com computadores, era o que mais me incentivava, arrumava freelas pra mim e falava que era meu futuro.

Só que programar, ficar dias, semanas, trabalhando em um tema me deixava muito deprimida, me dava dor de cabeça, crises de ansiedade e eu percebi que aquilo não era pra mim. Por hobby, tudo bem, um freela aqui ou ali também, mas não me imaginava fazendo aquilo pro resto da vida.

Foi meu pai que ofereceu um trégua quando viu que eu não estava bem. Sempre que isso acontecia, meu refúgio era a cozinha. Eu gostava de inventar coisas novas e testar receitas. Era o que me trazia a paz que eu perdia quando programava. Então todo fim de semana, meu pai comprava os ingredientes pra eu testar alguma receita nova — gente, nada ficava bom viu? Eu não tenho talento nato pra cozinhar não.

Um dos pratos que ficou muito bom foi Rabada ao Vinho Branco, só que a pessoa fez 1 kilo inteiro de rabada, sendo que ninguém em casa gostava, além de mim e do meu pai. E essa é a lembrança mais gostosa que tenho dele… Nesse dia, ele ligou pro amigos do trabalho para ninguém levar a mistura pra marmita e ele levou a panela inteira pro trabalho de tão gostoso que ficou.

Por um momento meu pai ficou chateado que eu não segui a profissão que ele acreditava tanto que iria dar certo, mas foi ele que, sem querer, me fez encontrar a Gastronomia.

Beijão


Compartilhe:
Comente:
Post Anterior Próximo Post

Você também pode gostar de:

9 Comentários

  • Responder Vanessa

    Que foto fofa!!!! Linda sua história nos blogs… pai que é pai tem que apoiar em tudo mesmo!

    Bjinhos,
    ❥ AmigaDelicada.com

    13.08.2017 às 17:51
  • Responder Thami Sgalbiero

    Ai que legal essa história, Steph! Meu pai também foi um dos únicos que me apoiou nisso de design e programação de layouts. Eu tive meu primeiro blog com 9/10 anos de idade. Lembro que a primeira vez que criei, pensei em encomendar um layout, mas quando vi o preço… Não tinha como né? Uma criança de 9 anos gastar 1.000 reais com um layout era loucura. Daí fui invetar de fazer tudo sozinha. A imagem no Paint, depois o HTML com uma base que tinha achado pela internet de tutoriais. Depois meu pai viu todo o meu gosto pela coisa, e instalou o Photoshop no computador, aí foi só festa, hahaha! Até hoje ele fica me indicando para as pessoas encomendarem comigo e tal. Também fico com dor de cabeça e crises de ansiedade, aí ainda me encontro meio perdida se isso é realmente o que quero, o que gosto, ou se é só um hobby pra levar como freela. Que bom que você encontrou as duas formas com o seu pai e que ele te apoiou também nas duas decisões. Meu pai também sempre me deixou livre pra escolher o que eu quisesse e ele até pensou que eu iria cursar design na faculdade, mas acabei escolhendo Publicidade e Propaganda, mas continuo na busca do que me agrade, hahaha!
    Beijos!

    13.08.2017 às 18:24
    • Responder Stephanie Ferreira

      Seu pai então é bem parecido com o meu, brigada por ter compartilhado comigo Thami ❤ Manda beijos pro seu pai!

      02.09.2017 às 12:21
  • Responder Thami Sgalbiero

    AAAH! E manda um feliz dia dos pais para o seu pai! 😀

    13.08.2017 às 18:24
  • Responder Pathy Guarnieri

    Sté, que lembrança mais fofa! Eu também moro longe do meu papis. =\

    Beijo!

    14.08.2017 às 08:27
  • Responder Chell

    Que lindo!
    É ruim ficar longe mesmo. =( Fico longe da família toda, então entendo como é a coisa. rsss

    15.08.2017 às 11:49
  • Deixe uma Resposta