Acompanhe:
Mascotes

Conheça os mascotes Quase Mineiros

Galinha, Porquinho da índia, tartaruga e peixes, em um mundo de gatos e cachorros ter mascotes diferentes pode ser bem divertido com um pouco de trabalho a mais.  Nas terra de Minas Gerais, eu moro em uma chácara e tenho bastante espaço para criar diferentes tipos de animais, o que é essencial se quer ter uma galinha por exemplo.

Conheça agora um pouquinho sobre cada um dos meus mascotes quase mineiros:

Couve e Angu 1

Couve, a Galinha. Morar numa chacara tem lá suas desvantagens, uma delas são aranhas, não aquelas de banheiro com suas perninhas fininhas e sim as armadeiras que podem machucar bastante. Os vizinhos então sugeriam à minha mãe criar galinhas pois elas adoram comer aranhas, minha mãe de cara não gostou da ideia mesmo assim fui a uma loja especializada e comprei dois pintos: Couve e Angu. Criei as duas com muito amor, dormiam numa gaiola forrada com casinha e tudo mais até ficarem adultas e mudarem para o recém-construído galinheiro no quintal, até que um dia apareceu uma armadeira e as duas começaram a correr atras da aranha brigando para saber quem iria ficar com qual perna. Minha mãe adorou e hoje tenho várias galinhas no galinheiro, um galo e vários pintinhos e nada de aranhas 😀 Angu, faleceu a pouco tempo mas a Couve continua linda, fofa e ainda bota ovos todos os dias.

clovis

Clóvis, a Tartaruga. Clóvis é um Jabuti de Patas Vermelhas ou Jabuti Piranga, o melhor animal de estimação que se pode ter, segundo dona Neide, minha mãe pois não faz barulho, sujeira ou da trabalho. Ganhei ele do meu tio que resgatou ele da casa de uma ex namorada, que morava num apertamento e só o alimentava com tomates! Aqui em casa ele ganhou um quintal, água fresca, verduras, ração e muito carinho. No inverno temos que coloca-lo dentro de casa, enrolado em mantas e roupas velhas porque chega a ficar negativa a temperatura em Poços de Caldas.

chef_porquinho

Chef, o porquinho da índia. Quando sai de Minas para estudar em são paulo, eu sabia que umas das coisas que mais sentiria falta seria meus bichinhos, então eu adotei um dos filhotes da gata de uma tia e chamei de Poly. Ela faleceu há pouco tempo e então eu me mudei e nessa nova casa eu não podia ter gatos. O chef, é minha nova família animal paulista, li tudo o que podia sobre criação de porquinhos da índia na internet e então fui na Cobasi, comprei tudo o que precisava e no mesmo dia trouxe o Chef pra casa. Porquinhos são super carinhosos e receptivos então estamos no dando muito bem.

Kinguios

Kinguios, peixes de áquario. Ganhei o aquário de Natal do namorado com dois kinguios, a Zóudinha, essa kinguio laranja e o Vader, um kinguio preto. Só que kinguios são peixes muitos sensíveis ao calor e água precisa se manter a 26ºC mais ou menos. Em janeiro de 2014, mais conhecido como janeiro infernal as temperaturas aqui em São Paulo chegaram a marcar quase 40ºC e não deu outra, o Vader não aguentou e faleceu D: Comprei então mais dois kinguios que não aguentaram a água muito quente, eu fiquei bem mal nessa época só de imaginar o sofrimento de morrer cozido… Por algum motivo a zóudinha aguentou todo o calor e estou com ela até hoje. O branco eu comprei com a chegava do outono e as temperaturas voltando à um grau decente. Mas várias vezes, eu e o Gustavo tivemos que resfriar à agua com gelo para baixar a temperatura.

E vocês tem algum mascote em casa? Algum diferente? Conte nos comentários 🙂


Compartilhe:
Comente:
Próximo Post

Você também pode gostar de:

1 Comentário

  • Responder Quase Mineira | GASTRONOMIA, ESCOTISMO E COTIDIANO DE UMA PAULISTA EM MINAS » Arquivo

    […] já falei um pouquinho sobre o Chef, meu porquinho da índia e meus outros mascotes aqui no blog. E alguns dos cuidados que temos que ter com porquinhos são garantir um alojamento com uma […]

    5 de agosto de 2014 às 15:26
  • Deixe uma Resposta