Acompanhe:
Livros

Quarto — Emma Donoghue

QuartoTítulo: Quarto
Autora: Emma Donoghue
Primeira publicação: 2010
Editora: Verus
Ano: 2015
Páginas: 350
Classificação: 5/5
Skoob | Goodreads

Sinopse: Para Jack, um esperto menino de cinco anos, o Quarto é o único mundo que existe. É onde ele nasceu e cresceu, e onde vive com sua Mãe, enquanto eles aprendem, leem, comem, brincam e dormem. Ali há maravilhas infindáveis para soltar sua imaginação. À noite, sua Mãe o fecha em segurança no Guarda-Roupa, onde ele deve estar dormindo quando o Velho Nick vem visitá-la. O Quarto é o lar de Jack, mas, para sua Mãe, é a prisão onde o Velho Nick a mantém há sete anos.

~

“Quarto” é narrado por Jack, um menino que acabou de completar cinco anos e tudo que ele conhece é o pequeno cômodo em que vive. Sua mãe foi sequestrada há sete anos e Jack nasceu ali mesmo, no tapete. Sua mãe o educa como pode, limitando sua televisão e estimulando suas habilidades, promovendo exercícios e escondendo-o do Velho Nick, que é como Jack chama o homem que visita sua mãe toda noite e faz a cama chacoalhar.

Como Jack está maiorzinho, sua mãe acredita que talvez ele já possa saber de sua história e, talvez, ajudá-la em um plano de fuga.

Eu gostaria de dar mais detalhes sobre a história e sobre as surpresas que tive ao decorrer do livro, mas se o fizesse estaria arruinando a maior parte destas surpresas para vocês.

Fiquei impressionada pela força dos personagens de “Quarto” e, especialmente, pela força e dedicação da Mãe em relação ao desenvolvimento de Jack. Apesar de não ter noção do que há no mundo lá fora, Jack é bastante inteligente, bem mais do que se espera de um menino que viveu a vida toda em um cubículo, tendo contato apenas com sua mãe e influência de poucos canais de televisão.

A história é bastante comovente, especialmente por explorar o ponto de vista do menino, que desconhece completamente o que é possível ou não no mundo fora do Quarto. Seus conflitos internos são bastante presentes e a descrição de suas emoções é muito bem trabalhada pela autora, facilitando a transmissão destes sentimentos ao leitor.

O livro foi adaptado para o cinema, e a adaptação é igualmente incrível. Mas sugiro a leitura antes do filme, visto que o livro permite um aprofundamento maior nos pensamentos e sentimentos de Jack, dando às coisas uma perspectiva muito interessante.

Onde comprar: Amazon | Submarino | Americanas | Saraiva | Livraria Cultura

52 Livros em 52 Semanas


Compartilhe:
Comente:
Post Anterior Próximo Post

Você também pode gostar de:

12 Comentários

  • Responder Katarina Holanda

    Apesar de ter sido um dos melhores que já vi, eu fiquei devastada com o filme O Quarto de Jack. Não sei se veria de novo e acho que não tenho coragem de ler o livro, mas deve ser incrível.

    4 de junho de 2016 às 09:37
    • Responder Ana P.

      Meu primeiro impulso é insistir pra que leia o livro, mas se o filme já te derrubou, talvez seja uma boa evitar o livro (pelo menos por um tempo haha). Achei o livro muuito mais aprofundado do que o filme (como geralmente é), não na questão da história em si, mas dos sentimentos de Jack. :~ Mas fica a recomentação, viu? Porque realmente é incrível!

      5 de julho de 2016 às 22:09
  • Responder Thay

    Esse livro é muito incrível! Apesar do tema pesado senti que tudo foi passado com tanta delicadeza e naturalidade que se transformou em uma história comovente. Acho que o livro ser narrado por Jack ajudou muito, mesmo em momentos tensos eu me via rindo com as perguntas inocentes dele. É um belo livro!

    4 de junho de 2016 às 20:23
    • Responder Ana P.

      Tenho certeza que a questão de apresentar o ponto de vista do próprio Jack contribui muuito para esse “clima” comovente e profundo, mas ao mesmo tempo “suava”. E são raros os livros construídos do ponto de vista da criança e que são tão bem escritos!

      5 de julho de 2016 às 22:11
  • Responder Cris

    Eu vi o filme e confesso que não sabia do livro até pouco tempo atrás e agora quero muito ler. Achei o filme muito incrível e imagino que o livro deve de ser melhor.
    Beijos! =**

    5 de junho de 2016 às 11:25
    • Responder Ana P.

      Pois é, eu também fiquei sabendo do livro por conta do filme, mas ainda não tinha tido a oportunidade de assistir até depois de ler o livro. O livro permite uma visão mais aprofundada na mente e sentimentos do personagem principal, então acho que é mais interessante que o filme sim. (:

      Beijos!

      5 de julho de 2016 às 22:17
  • Responder Kari

    Eu pensei em assistir esse filme esses dias, mas fiquei com medinho de ficar deprê. Não sabia que tinha sido adaptado de um livro!
    Gostei muito da sugestão. Acho que vou tentar ler o livro antes, para ver se é mesmo uma história que me faria bem assistir.
    Beijos!

    5 de junho de 2016 às 11:31
    • Responder Ana P.

      Oi Kari! Se me permite o comentário, acho que o livro pode te afetar mais do que o filme, viu? Apesar de nenhum dos dois ser visceral (no sentido de te fazer sentir na pele as cenas/sensações descritas), o livro permite um olhar mais de perto no personagem principal.

      Mas claro que o livro tem a “vantagem” de ser mais fácil de parar e voltar a leitura depois que der uma ~baixada~ nas reações, coisa que é mais complicado no filme (:

      Beijos!

      5 de julho de 2016 às 22:20
  • Responder Clayci

    Aiii Ana, estou para postar a minha resenha.
    Eu adorei conhecer o mundo do Jack! Apesas de sido um choque, afinal por mais que ele seja ingenuo, nós leitores sabemos o que realmente acontece.
    Pensei que não conseguiria ler por causa do tema, mas me apaixonei tanto pelo personagem que até me esqueci da das condições em que viviam..

    5 de junho de 2016 às 17:43
    • Responder Ana P.

      Ai, já saiu? Quero ler tua resenha também!
      Tive a mesma sensação de choque que ti, mesmo também sabendo mais ou menos o que esperar da história.

      Acho que o que eu mais gostei foi da ingenuidade dele em não entender que existia um mundo lá fora, e a dificuldade de distinguir o que era ou não real, de não entender a real intenção da brincadeira de gritar o mais alto possível e coisas assim. Sem o ponto de vista do Jack o livro definitivamente não seria tão bom.

      5 de julho de 2016 às 22:27
  • Responder Lilian

    Não li o livro, mas assisti ao filme. E o filme é bom DEMAIS! Muito sensível, ele acaba nos fazendo refletir sobre tanta coisa!

    15 de junho de 2016 às 14:44
    • Responder Ana P.

      Vou reiterar aqui então a dica de ler o livro mesmo depois de ver o filme (: Acho que o livro deixa tudo mais sensível!

      5 de julho de 2016 às 22:22

    Deixe uma Resposta