Acompanhe:
Livros

Série feios: Feios, Perfeitos, Especiais, Extras — Scott Westerfeld

Série feios || Foto por Paradoxo Perfeito via Eu Sou Android

Série feios || Foto por Paradoxo Perfeito via Eu Sou Android

Título: Feios | Perfeitos | Especiais | Extras
Autora: Scott Westerfeld
Primeira publicação: 2005 | 2005 | 2006 | 2007
Editora: Galera Record
Ano: 2010 | 2010 | 2011 | 2012
Páginas: 416 | 400 | 351 | 416
Classificação: 5/5
Feios: Skoob – Goodreads  | Perfeitos: SkoobGoodreads | Especiais: SkoobGoodreads | Extras: SkoobGoodreads

Sinopse (feios): Em uma sociedade futurística, todos os adolescentes esperam ansiosos o aniversário de 16 anos, pois então serão submetidos a uma inacreditável cirurgia plástica, que corrigirá todas as suas imperfeições físicas, transformando-os em perfeitos. Tally, porém, acaba se envolvendo em uma conspiração e descobrirá que, por trás de tanta perfeição, se esconde um terrível segredo.

~

Li “Feios” no ano passado, mas acabei demorando tanto para finalizar o livro que não engatei logo em seguida as outras leituras pra não perder muito tempo do desafio. Mas aí esse ano não quis começar uma série sem terminar outra e encarei os últimos três livros da série.

Ideal para os fãs de “Divergente”, “Feios” é mais uma distopia futurista. Uma bactéria que se alimentava de petróleo destruiu boa parte da humanidade e o que restou se estabeleceu em cidades destinadas a proteger o que restou, tendo cuidado para não cometer os mesmos erros do passado.

Todos nascem feios, humanos comuns, e assim ficam até seus aniversários de 16 anos, quando passam por uma cirurgia plástica que torna-os perfeitos.

Próximo ao seu aniversário de 16 anos a amiga de Tally, Shay, decide fugir para a Fumaça, um lugar escondido na floresta em que os antigos costumes sobrevivem. Quando Shay desaparece, cabe a Tally a missão de resgatá-la, sob ameaças das Circunstâncias Especiais, um orgão do governo de sua cidade responsável por lidar com circunstâncias especiais.

~

Perfeitos começa com Tally, Shay e todos seus amigos já transformados em perfeitos. E, com a cirurgia, Tally esqueceu tudo que havia descoberto na Fumaça sobre a real intenção da cirurgia: Modificar seus cérebros para que não haja uma rebelião contra o governo da cidade. Mas, apesar do ataque ao final do primeiro livro, a Fumaça permanece viva e um de seus membros decide visitar Tally para lembrar de sua promessa.

~

Ao final de “Perfeitos”, Tally se vê capturada por Shay, agora membro de uma “facção” especial das Circunstâncias Especiais e, uma vez sob custódia, Tally também é transformada em uma “Cortadora” também. Ainda mais bem equipados, é missão deles destruir a Fumaça de uma vez por todas. Mas uma das operações de sua missão revela uma nova cidade e o perigo que sua própria cidade oferece à humanidade.

~

“Extras” é diferente de todos os outros. Estamos, dessa vez, em uma outra cidade e numa época pós-Tally Youngblood. A era da perfeição ficou para trás e agora tudo se baseia em méritos e reputações. A personagem principal é Aya Fuse, que sonha em ser uma kicker (que pode ser basicamente traduzido como uma youtuber) e escalar a escada da fama pessoal. Ela encontra um grupo de garotas misteriosas e acredita que aquela pode ser A matéria que a lançará.

 

 

A proposta da série é muito interessante e bem construída. Além de personagens complexos, o autor criou completamente um novo universo, com diversas ferramentas que só existem em nossas imaginações. O primeiro livro é um tanto quanto parado, dispendendo um grande tempo na jornada de Tally até a Fumaça; é uma parte interessante, mas que poderia ter sido resumida.

Em todos os livros há o elemento de romance. No primeiro, Tally se envolve com David, integrante da Fumaça. Em “Perfeitos” e “Especiais” ela desenvolve um relacionamento com Zane, e tem um conflito grande ao lembrar da existencia de David. E, em “Extras”, há o romance de Aya com Frizz. Estes romances não são o foco dos livros mas são, sim, o foco de algumas das decisões das personagens principais.

É interessante notar a força das personagens principais. Tally é capaz de vencer a cirurgia apenas com sua força de vontade, Shay — que divide o foco principal com Tally em várias cenas — se mostra extremamente inteligente e também desenvolve seu próprio método de vencer as modificações em seu cérebro. As duas possuem momentos bons e ruins como amigas — tal qual qualquer relação de amizade. E, por fim, é ressaltada também a coragem e obstinação de Aya. Mesmo que seu propósito pareça ser baseado em vaidade, ela corre atrás do que quer e não aceita viver à sombra do irmão.

Meus livros favoritos da série foram “Perfeitos” e “Especiais”. Tive um pouco de dificuldade em aceitar “Extras” por esperar que fosse uma continuação das história de Tally, enquanto o apresenta, na verdade, uma história completamente diferente, na qual Tally aparece apenas como coadjuvante.

 

A leitura pode não ter sido muito rápida, mas valeu a pena (;

52 Livros em 52 Semanas

BEDA 2016 | Quase Mineira


Compartilhe:
Comente:
Post Anterior Próximo Post

Você também pode gostar de:

3 Comentários

  • Responder Marcela

    Achei interessante que a história parece dar altas voltas, principalmente pelo fato de a protagonista realmente fazer a cirurgia, e pelo último volume ter pouca relação com o restante da história. No entanto, eu vivo me perguntando se já não estamos saturados de distopias adolescentes, até porque todas me lembram um pouquinho as clássicas (tipo Admirável Mundo Novo) em vários aspectos.

    05.08.2016 às 23:48
    • Responder Ana P.

      Eu li Admirável Mundo Novo e, pra ser sincera, não lembro muito da coisa toda.

      Minha opinião é que, basicamente, tudo que é sucesso é hiperexplorado. Quando Crepúsculo estourou, emergiram INÚMEROS livros / filmes / séries sobre vampiros. Alguams boas, outras nem tanto, outras péssimas. Cada uma explorando uma mitologia diferente e etc.

      Acho que o mesmo aconteceu com distopias depois de Jogos Vorazes e Divergente. Tem muuuuuita distopia por aí, mas acho que o caso das distopias é diferente, porque elas podem pertencer ao mesmo gênero e ser completamente diferentes entre si (que é o caso das duas que citei no comentário e da série “Feios”).

      22.08.2016 às 16:03
  • Responder Karolini Barbara

    Ma oe! O.O… Gente desde a época que começou a sair os primeiros livros da série que eu tenho vontade de ler. E vejo por ai boas resenhas, eu sinceramente fiquei ainda mais empolgada por querer lê-lo.

    Até mais!
    womenrocker.blogspot.com

    25.01.2017 às 15:06
  • Deixe uma Resposta