Acompanhe:
Livros

Sob o Céu de Novgorod — Régine Deforges

SOB_O_CEU_DE_NOVGORODTítulo: Sob o Céu de Novgorod
Autor: Régine Deforges
Editora: Nova Fronteira
Ano: 1989 / Páginas: 296
Classificação: 3/5

Skoob | Goodreads

Sinopse: Biografia romanceada de Ana de Kiev, neta do famoso Vladimir de Kiev, que em 1044 foi entregue em casamento a Henrique I, rei da França. Ana abandonou a sofisticada corte russa para viver numa França ainda fortemente dominada pelos bárbaros, casando-se com um homem extravagante e conhecido pelo desprezo pelas mulheres. Enquanto busca fugir do cotidiano sufocante, sonha em reencontrar seu amado Felipe e retornar a Novgorod.

Sob o Céu de Novgorod — Régine Deforges | Quase Mineira

Régine Deforges, como contei para vocês em vários posts, é a minha autora favorita. Eu sou fã desta mulher muito mais do que sou fã da JK ou da Cassandra Clare por exemplo (amo todas, mas Régine tem um lugar especial no meu coração) e por isso estou colecionando todas as obras já publicadas em português por ela…
Esta sendo bem difícil porque ela não é tão conhecida no Brasil e nenhuma editora publica mais nada dela, então estou me aventurando em sebos e no meio desta aventura literária que descobri ‘Sob o Céu de Novgorod’.

Como a própria autora diz na orelha do livro, esta é a história romântica mais bela de todas ❤️

Como característica de Régine, muito mais que uma história de amor, esta é uma biografia de Ana, princesa da Rússia que teve que se casar com o rei da França, Henrique.

A história se passa na Idade Média, metade do século XI e a autora consultou diversos especialistas  para tornar este livro um relato rico de detalhes dos costumes da época. Mesmo que você não goste de romances, este não é um romance comum, é uma história precisa da tradição do romance histórico francês.

Sob o Céu de Novgorod — Régine Deforges | Quase Mineira Sob o Céu de Novgorod — Régine Deforges | Quase Mineira

Como leitor, a gente se perde nas aventuras, paixões, cavaleiros, monarquia, batalhas, rituais de bruxaria e paixões arrebatadoras. O melhor do livro é entender como a vida naquela época é diferente da Idade Média que estamos acostumados à ver em filmes e livros – que geralmente se passa no século XVI. 

Eu gostei da corajosa princesa Ana logo no começo, por ser diferente das princesas que conhecia que viveram neste período. Esta gostava de cavalgar livremente pelas terras da Rússia e participar da caçadas junto do pai. Mas então, ela se casa e descobre que lugar de mulher é dentro do castelo, bordando, supervisionando os criados e dando herdeiros ao trono. E passa seus dias sonhando em voltar para a sua querida cidade, Novgorod.

— Muitas vezes, à noite, desperto pensando: um dia voltarei a viver sob o céu de Novgorod…
— Nunca voltará. É a rainha da França, seu país é este para sempre.

Este último item: ‘dar herdeiros ao trono’, foi o mais difícil porque o rei não esconde de ninguém que gosta de homens mesmo correndo o risco de ser excomungado da Igreja.

Todos os personagens da histórias são cativantes, mesmo os vilões, justamente ninguém se prende no título de herói e vilão. Um capitulo você odeia Raul de Crépy, o conde que sonha em possuir a princesa a qualquer custo e em outro, você passa a gostar dele. Doidera né? Mas a leitura flui bem e consegui terminar em poucos dias.

Para os apaixonados por história, este livro é ótimo! O final é o mais emocionantes, surpreendente e lindo de qualquer outra história de amor antiga.

Onde encontrar: AmazonEstante Virtual

BEDA 2016 | Quase Mineira


Compartilhe:
Comente:
Post Anterior Próximo Post

Você também pode gostar de:

5 Comentários

  • Responder Clayci

    Vc fala tão bem que me deixa com vontade de conhecer <3
    Amei as fotos do livro

    16 de agosto de 2016 às 10:48
    • Responder Stephanie Ferreira

      Se for ler algo da maravilhosa Régine Deforges, recomendo começar por ‘A Bicicleta Azul’ o maior sucesso dela que é maravilhoso ❤️

      17 de agosto de 2016 às 13:01
  • Responder VANESSA BRUNT

    Quantas críticas sociais incríveis são cabíveis em livros assim, não é? Diversos pontos para encaixarmos nas evoluções que tivemos e que ainda precisamos ter, para enxergar os vestígios de machismo e afins que prosseguem no hoje. Fiquei encantada pelas entrelinhas críticas da obra! Livros que não dão título único e rígido de ‘vilão’ e ‘mocinho’ para nenhum personagem, sempre já chegam ganhando pontos comigo. Adorei a resenha e esses desenlaces que já me fizeram ficar roendo unhas.

    http://www.semquases.com

    16 de agosto de 2016 às 12:57
    • Responder Stephanie Ferreira

      Sim sim, livros assim são ótimos para perceber toda a evolução social que tivemos Van, este é uma ótima leitura, recomendo!
      Beijos

      17 de agosto de 2016 às 13:00
  • Responder Bela

    Eu lembro que você me contou desse livro e o nome entrou no esqueciemento! Obrigada porme lembrar!

    23 de agosto de 2016 às 07:41
  • Deixe uma Resposta